E-commerce: realidade de 2013 e tendência para 2014


De acordo o relatório do E-bit, o ano de 2013 consolidou-se com maiores vendas para as seguintes categorias como se pode visualizar no gráfico a seguir. As 5 categorias que se descatam nas vendas no comércio eletrônico, são: moda e acessórios; domésticos e perfumarias; eletrodomésticos; livros, assinaturas e revistas; e informática. Esse resultado, demonstra que as algumas idéias fixas que as pessoas não comprariam vestuário pela internet vem sendo deixado de lado. Ao mesmo tempo, exige que as lojas virtuais tenham a competência de detalhar melhor o produto e ter informações de apoio para a escolha certo, como por exemplo, o tamanho certo!

 

Ao mesmo tempo que temos esse cenário das categorias de maiores vendas, temos um outro que vem se construindo com o decorrer do tempo, principalmente com a legislação do direito do arrependimento, que é o zelo da orientação para troca e devolução de produtos como também o aprovisionamento dos custos que isso ocorre. O relatório do E-bit, também apresentou essas informações, como mostra no gráfico a seguir.

devolução e troca de produtos

Como se pode analisar a intenção e a troca de produtos tem grande semelhança nos resultados, mas se difere do ranking dos produtos mais vendidos pela internet, exceto a categoria moda e acessórios. Pode-se refletir o porque as demais categorias maior ranking de devolução, tais como, eletrônicos; telefonia/celulares; eletrodomésticos e informática. Uma vez que essas categorias possuem um discurso no mercado que as pessoas sempre vão nas lojas tradicionais para ver e testar os produtos e depois compram pela internet. O que de fato vem acontecendo? Não tenho resposta para tal, mas faço uma reflexão com os seguintes aspectos:

– Descrição do produto e a versão tecnológica do que está sendo vendido.

– Quem compra não possui conhecimento suficiente e precisa e um suporte on-line para comprar corretamente.

– Qualidade ou estado do produto que chega ao cliente, como por exemplo, embalagem danificada, produto quebrado ou outra situação.

– Lealdade do que foi vendido e o que foi realmente entregue.

– Falta de cumprimento de prazos.

– Falta de suporte pós-venda para configurar, montar ou usar, levando o cliente até a interpretação que está quebrado ou gerando qualquer insatisfação, motivando a devolução.

Bem, é uma questão para aprofundar e rever a abordagem de venda pela internet se está sendo correta para não ser simplesmente pragmático em aumentar os custos dos produtos por conta das despesas de devolução e troca.

O comércio eletrônico no Brasil vem ano após ano amadurecendo a sua prática e ao mesmo tempo que novas pessoas começam a comprar pela internet. Então, não basta só repetir as melhores práticas internacionais, mas buscar conhecer o comportamento dos novos compradores on-line e os potenciais que irão comprar, porque esses irão ditar as regras do consumo pela internet nos próximos anos, até chegar em um mercado amadurecido e sólido para uma comparação com a realidade internacional. A realidade internacional servirá para se antecipar algumas melhores práticas, apenas no momento.

 

 

Anúncios

2 comentários em “E-commerce: realidade de 2013 e tendência para 2014

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s