Avaliação de ponto comercial, Comportamento do consumidor, Diferencial estratégico, Gestão empresarial, Marca, Memória, Mercado, Mundo virtual, redes sociais

Sua empresa está geolocalizada?


No dias atuais muitos empreendimentos formais tradicionais ou não, pontos históricos ou locais interessantes para serem visitados precisam estar geolocalizados, caso você queira  ser encontrado na sociedade atual.

Essa sociedade inclusa digitalmente utilizam a internet para se localizar, pesquisar, traçar rotas e planejamentos de viagens, além de poderem fazer escolhas com as alternativas que aparecem em suas telas.

A partir dessa geolocalização as pessoas começam a curtir e divulgar esses espaços que visitaram, em outras palavras, fazem a propaganda de boca a boca pela web.

Esse mundo é sem fronteira e poderá contribuir até as pessoas que não moram na cidade localizem facilmente e vejam a opinião das pessoas a respeito da localização.

Alguns sites para vocês pesquisarem e para ontem registrarem a existência suas empresas:

http://maps.google.com.br/maps?hl=pt-BR&tab=wl

https://foursquare.com/

https://www.facebook.com/TravellerspointTravelMap

http://www.tripadvisor.com.br/

E outros que vocês venham considerarem interessantes e estratégicos para seus negócios.

Anúncios
Comportamento do consumidor, Memória

Usando a memória infantil para obter insight nos significados das marcas


Lendo o artigo “Using Childhood Memories to Gain Insight into Brand Meaning“ de Braun-La Tour e Zinkhan (2007), identifiquei que ele procura rever a lógica de conectar ou reconectar as recordações mais antigas e recordações cristalizadas que afetam na tomada de decisão para identificar  insight’s nos significados das marcas ou produtos para três gerações de consumidores de automóveis. Neste contexto, a pesquisa procura respostas sobre o que os consumidores e suas recordações passadas podem revelar sobre o significado das marcas, utilizando a memória autobiográfica para identificar o autoconceito de si (BADDLELELY, 1988; BRUNER, 2003; NEISSER;1981) e obter informações contidas na memória autobiográfica que se refere a marcas ou produtos (HEBRIDGE,1988; OLSEN,1995) para identificar as experiências do seu tempo de vida que carregam significados (BRUHM, 1990; COHEN, 1989). As experiências mais distantes e mais repetitivas tornam-se mitos e revelam significados simbólicos (BRUHM, 1990,1992; SINGER e SALOVEY,1993; ZALTMAN,2003). Alem dos instrumentos ZMET(Zaltman Metaphor Elicitation Technique), TAT (Teste de Apercepção Temática), e focus group.

memoriaDe acordo com os resultados a geração X, sua infância não foi boa diante de divórcios, mas suas recordações antigas eram de alguma coisa que estimavam. O carro era como o mito do herói masculino, protegendo de alguém ou de alguma coisa. Foi encontrado forte relacionamento entre as recordações mais antigas e suas atuais escolhas de carro. Algumas gerações que estavam construindo suas famílias, ficavam distante a possibilidade de adquirir carro esporte e compravam carros compatíveis a família. A geração baby boomers eram mais influenciadas pelas recordações cristalizadas de episódios acontecidos, são propensos a carros esportivos. Eles consideram-se mais agradáveis e estimados de que as outras gerações e foi identificada a presença da síndrome de Peter Pan. Já geração silenciosa e a mais intrigante, seu esforço não era para a família ou para um carro esporte, mas a escolha do carro era pela preferência de praticidade e pela aquisição de status. Suas vidas eram paralelas ao crescimento, sofisticação e transformação do carro que aspiram o melhor do momento. Outros condenavam a extravagância pelo status e buscavam a praticidade.

A pesquisa conclui que o tempo entre as experiências das recordações mais antigas e as recordações cristalizadas são similares e diferentes que definem as gerações, sugerindo uma estratégia de comunicação segmentada, alguns aspectos da natureza e vida permanece inalterada em que anseiam por uma vida melhor para seus filhos, encontrar a felicidade.

E por fim, a diferença no significado simbólico está apegada a essas memórias e aos pontos de referência dos eventos associados a elas, permitindo o direcionamento da memória coletiva das diferentes gerações.

Fonte:  BRAUN-LA TOUR, K.A.;  ZINKHAN, G.M. Using Childhood Memories to Gain Insight into Brand Meaning .  Journal of Marketing, vol.71, p. 45-60, april, 2007