Comportamento do consumidor, comportamento empreendedor, comportamento organizacional, conceito de si, Gestão empresarial, locus de controle, Mundo virtual

Você dá exemplo na sua empresa?


No evento do E-commerce Brasil o empresário contou sua história de vida como empresário. Podemos refletir sobre todos os desafios e comprometimento efetivo para atingir suas metas com foco e entendendo de pessoas… Assista…

Anúncios
comportamento empreendedor, conceito de si, Empreendedor, locus de controle, Modelo de negócio, Statups

Comportamento empreendedor faz toda a diferença!


comportamento empreendedor, conceito de si, locus de controle

Como você lida com os problemas na sua empresa?


Muitas pessoas na vida tendem culpar tudo e todos quando as coisas estão dando errado. Esse hábito continua se extendendo para a vida empresarial. Fica tudo mais fácil e cômodo em cobrir um ponto fraco ou uma incompetência quando culpamos tudo e todos.

Certa vez trabalhando um consultor alemão, ele falou a seguinte frase: “Muitas pessoas terceirizam a culpa e não saem da zona de conforto.”

Essa situação vem acontencendo frequentemente no mundo empresarial. Os empresários que se destacam e superam os desafios, são aqueles que tomam para si a responsabilidade e buscam alternativas para lidar com os problemas. Não utilizam simplesmente recursos financeiros, mas utilizam essencialmente, sua criatividade, rede de contato, capacidade de exergar oportunidade, otimismo e principalmente sua vontade da fazer acontecer.

O video a seguir contribuirá para refletir como nossa atitude e vontade de alcançar nossos objetivos poderá influenciar o nosso em torno, transformando o caos em luz.

comportamento empreendedor, conceito de si, Empreendedor, locus de controle

O empreendedor


Passe-se o tempo e continuo a considerar o conceito dado por Schumpeter em 1039 presente na realidade atual para aqueles que se dizem empreendedor.

” Aquele capaz de visualizar uma realização futura e, através do seu trabalho e recursos, combinado ao trabalho e recursos de terceiros, torná-la realidade”

Aproveito esse momento e peço que todos naveguem nesses slides e reflita seu comportamento com empreendedor:


Não esqueça que o tamanho da sua empresa será do tamanho do seu sonho somado com sua capacidade de realização!

Comportamento do consumidor, comportamento empreendedor, conceito de si, Empreendedor, Estratégias, Gestão empresarial, locus de controle, Modelo de negócio, Oportunidade de negócio, Planejamento, Plano de negócio

O dinamismo de uma startup


Toda empresa que está iniciando suas operações no mercado vivencia um grande momento de instabilidade. Essa fase vai depender essencialmente da visão empresarial e habilidades do empreendedor. Se esse empresário possui uma visão clara do futuro da sua empresa, metas e objetivos definidos e com preparo gerencial, saberá lidar com esse período de instabilidade de forma positiva e menos danosa para o capital investido.

Será um equívoco do empresário se ele achar que a modelagem da empresa que instalou continuará igualzinha no decorrer do tempo.

Pode-se observar no desenho abaixo a síntese dos aspectos da empresa que precisará dinamizar para haver a melhoria continua e sucesso no mercado.

Toda empresa no início de suas operações possui um mix de produtos e serviços e uma estratégia que definirá sua abordagem de relacionamento com os clientes, tudo isso embasado na visão da empresarial.

Já falava Fillion que a empresa é resultado do sonho e do conceito de si que o empreendedor tem internalizado. O sonho  tende a modelar onde o empresário quer chegar e o conceito de si, sua forma de enxergar o mundo,além de sua própria capacidade de realizar conquistas. Tudo isso resultará na visão  empresarial que permite o empreendedor ter um foco claro de seus objetivos pessoais e empresariais.

A estratégia será como o empresário irá colocar em prática suas ações e abordagem de relacionamento com o cliente. Nesse aspecto que precisa estar presente a criatividade, a flexibilidade, a capacidade gerencial de lidar com recursos escassos, pois muitas empresas no momento de instabilidade precisará realizer ajustes ou até mesmo transformação de suas estratégias para que possa consolidadar a empresa no mercado.

A maior ou menor necessidade de mudanças dos produtos/serviços está proporcional ao conhecimento do empresário tem para com os clientes e o mercado que se quer trabalhar. Agora a necessidade de otimização será constante, e dependerá da capacidade de identificar oportunidades de negócio, gerenciar recursos e ativos da empresa e mais do que nunca conhecer o comportamento do consumidor.

Todo empreendedor é essencial construir seu modelo e plano de negócio, mas também ter a consciência desse processo dinâmico que a empresa vivenciará. Dessa forma os instrumentos de planejamento terá sentido e será retroalimentado para construir a base para firmar a empresa no mercado e ter seu sucesso com menos disperdício financeiro e material.

comportamento organizacional, Gestão empresarial, locus de controle

Meios de aprendizado empresarial


Temos várias formas e fontes de gerar aprendizado de um determinado conhecimento e ou desenvolvimento de alguma habilidade. No mundo empresarial existe meios formais e informais para contribuir para esse aprendizado.

Pelos meios formais, podemos citar os programas de educação corporativa, workshops, consultorias e qualquer outra forma contratada formalmente que tenha um tempo determinado e um objetivo a ser alcançado.

Pelos meios informais, poderá advir de uma leitura, por observação, reflexões de algo vivenciado e principalmente dos relacionamentos pessoais e empresariais.

As relações sociais são grande oportunidade para apoiar no aprendizado pessoal, pois nossos relacionamentos poderão possibilitar o desenvolvimentos de habilidades, ter pessoas que são modelos de referência de algumas práticas desejáveis na sua gestão, além de ter pessoas que lhe dê feedback de sua ação empresarial e como pessoa.

Os relacionamentos que perduram por muitos anos e acompanham todas as fases de sua vida pessoal e ou como empresário tende a essas pessoas serem mentores que o apoiaram ou continuam apoiando no desenvolvimento empresarial e ser uma pessoa melhor no seu meio.

A mentoria tem um toque especial porque o empresário aprende “como aprender” com o que é vivenciado ao invês de só receber sugestões ou soluções formatadas para suas questões empresariais.

Saiba encontrar seu caminho para desenvolver-se como empresário e reflita quais estão sendo suas fontes de aprendizado e quais as que você deve priorizar!

O mundo não para e você precisa evoluir junto para manter seu sucesso empresarial.

 

 

comportamento empreendedor, Empreendedor, locus de controle, Statups

Protagonismo cognitivo na era da informação do conhecimento


Carlos Seabra (@cseabrae) explanou algumas idéias no Campus Party 2012 sobre algumas competências que um empreendedor nos dias atuais precisa ter, principalmente os que atuam ou pretendem atuar no contexto tecnológico.

Essas competências precisam se desenvolvidas e internalizadas para que torne-se visceral.

Algumas competências importantes:

  •  Aprender com os erros – importante ter a tomada de consciencias de seus erros para nao vire uma escala de repetição.
  •  Levantar hipoteses – saber elaborar reflexões e questões a serem pesquisadas e monitorados.
  •  Reconhecer padrões –ter a capacidade de identificar e fazer a leitura das situações atuais e de tendências.
  •  Saber se comunicar – não basta ter uma boa idéia ou negócio, precisa saber traduzir para linguagem certa para o public que se pretende atingir e utilizar a mídia mais eficaz para transmitir a mensagem. Seja um projeto bem redigido a o saber se apresentar a pessoas ou vender aos clientes.
  •  Articular-se em rede – não é só nas redes sociais mas manter sua agenda de contatos organizada e manter-se sempre articulado.
  • Desenvolver projetos – é fundamental saber organizar as idéias , elaborar planilhas para similar cenários economico financeiro, escrever bem para transmitir as ideias  para as pessoas ou instituicoes que pretende apresentar ou captar investimentos, parceiras, etc.
  • Saber pesquisar – cuidado para não confundir com o google, precisa-se checar as fontes e buscar diversas fontes dentro e for a da internet.  Ter idéia clara do que se quer saber para melhor organizar as informações adquiridas.
  • Seja organizado e disciplinado para que suas idéias e seus projetos consiga resistir as situações adversas.
  • Ter prazer intelectual – curtir o que está fazendo ou que irá empreender para que se possa canalizar suas forças.
  •  Empreendedorismo cognitivo – cognição na perspectiva de ter a capacidade de construir seu próprio conhecimento.

Reflita e análise suas competências para que você venha ter sucesso no que esteja fazendo ou venha fazer!

comportamento empreendedor, Empreendedor, Estratégias, locus de controle, Oportunidade de negócio

Abrir empresa por necessidade ou por oportunidade?


Dando sequência ao artigo da semana passada, vamos analisar o resultado da pesquisa de sobrevivência das empresas realizada pelo Sebrae a partir da pesquisa do GEM – Global Entrepreneurship Monitor.  O GEM é o maior estudo contínuo sobre a dinâmica empreendedora do mundo desde 1999 até o momento.

Esse estudo da ênfase na observação da motivação de iniciar uma atividade empreendedora, resultando a definição de empreender por necessidade ou por oportunidade, que tem o seguinte conceito:

Por necessidade significa abrir uma empresa por falta de melhores alternativa profissional. Falta emprego ou o salário oferecido no mercado não corresponde a sua necessidade de renda. Muitas pessoas buscam abrir uma empresa como uma grande alternativa de sobreviver financeiramente.

Por oportunidade significa, como próprio nome já diz, iniciaram sua empresa por visualizarem uma oportunidade de mercado e geração de melhoria de vida.

Na economia é mais favorável a abertura de empresa por oportunidade, entretanto, não se pode deixar de lado os empreendimentos abertos por necessidade, pela força das circunstâncias, tornem-se empreendimentos de sucesso de contribuam para o fortalecimento da economia.

Um dos fenômenos que também acontece é quando os ambientes onde ocorre um grande volume de investimento, transformando a economia local. A maioria das pessoas que empreenderam por necessidade, começam a migrar, isto é, começam a fechar seus negócios ou o repassam! Diante do simples fato de estarem com um negócio só por falta de emprego!

Outras pessoas, intensificam seus negócios e renovam toda sua forca de venda para atender o mercado que está aquecido e para lidar com novos concorrentes que são atraídos por esse cenário.

Então será que a quantidade de empresas que fecharam em Pernambuco nesses últimos dois anos, desmascararam a motivação de empreender por necessidade?

comportamento empreendedor, conceito de si, Empreendedor, locus de controle

Força de vontade e os desafios de empreender


Sonhar e força de vontade não tem cor, raça, idade, renda, limitações, nível educacional e outros aspectos que as pessoas assumem como justitificativas para enfrentar seus desafios! De acordo com sua história de vida, você desenvolve habilidades diferenciadas que são impulsionadas pelo sonho e pela força de vontade de superar os desafios e fazer acontecer seu empreendimento!

Pode-se ler várias histórias e tomá-las como lição de vida, renovando sua motivação para empreender. Veja mais no artigo “Vivendo e empreendendo” http://www.diariodepernambuco.com.br/economia/especiais/empreendedorismo/popup.html.

comportamento empreendedor, conceito de si, Empreendedor, Gestão empresarial, locus de controle

Dono de um negócio x Ser empreendedor


Temos muitos donos de negócios. Mas, será que todos são empreendedores? Será que todos os empresários pensam em crescer?

Gostaria de compartilhar essas reflexões com vocês… E também quero escutar sua opinião a respeito disso!

Eu verifiquei que existe diferença entre ser dono de negócio e ser empreendedor,  a partir de algumas leituras e diálogos com empresários e pessoas que pretendem abrir um negócio!

Os pesquisadores Liles, Stevenson  e Gumpert  indicam que um empresário é empreendedor quando possui capacidade de identificar oportunidades e elaborar estratégias aliada à sua visão de futuro. Sabe otimizar recursos e transforma com criatividade.

Fillion, já fala que o empreendedor é guiado pelo seu sonho e, que tem como fronteira, o conceito de si. Fronteira essa que se torna pequena ou grande, de acordo como as pessoas se veem e sonham.

É aí que alguns empresários estão satisfeitos pela situação em que se encontram, mesmo que outras pessoas visualizem que aquele empresário, e seu respectivo empreendimento, poderia ir muito, mas além…. Essa situação tem a ver com o sonho e o conceito sobre si.

Analisando pela ótica da própria dinâmica empresarial em que se encontra o empreendimento, a situação de estagnação e de acomodação do empresário poderá não ser saudável.

Quero dizer que, se o empresário se vê sempre pequeno e nunca pretende crescer, não poderá ficar na inércia, acreditando que tudo está bom e não precisa fazer mais nada pela empresa. O detalhe não é ser pequeno ou grande empreendimento, é o dinamismo do empresário de atualizar e seguir  tendências de mercado, quanto ao seu tipo de negócio, para que possa ser sustentável e competitivo!