brand, Diferencial estratégico, Gestão empresarial, Marca, Mercado

Três pontos fundamentais para decisões na sua empresa


A gestão de uma empresa é importante item na boa condução do negócio. No enfoque aqui, vamos falar do setor de comércio. Para começar, responda a pergunta: você está realizando mudanças na sua empresa? Antes de responder, não se esqueça de considerar três aspectos importantes:

Gerenciar a imagem da marca

Antigamente, o nome e sobrenome das pessoas valiam “ouro”, quanto à sua credibilidade e respeito perante a sociedade. E a palavra das pessoas que transmitiam credibilidade sempre foi considerada verdade, praticamente, absoluta.

Não esquecendo o nosso passado, a marca precisa sempre fortalecer sua credibilidade nos seus pontos fortes. Qualquer ação que a empresa venha a fazer e proporcionar para o cliente precisa preservar e fortalecer o nome da empresa para esse público.

Aumentar a base de clientes

Muitas pessoas já estão cansadas de ouvir falar que é mais barato manter do que adquirir clientes. Essa verdade ainda continua existindo, mas não posso verificar se a empresa possui uma carteira de clientes suficiente para sua lucratividade ou se existem objetivos de expansão.

Diante disso, faz-se necessário sempre em pensar em como ampliar a base de clientes. A cada estratégia, ação promocional ou mudança na sua abordagem de atendimento, é importante refletir: como posso atender melhor os meus clientes e potenciais clientes que possuem o mesmo perfil e não estão interagindo com minha empresa? O que estou proporcionando vai cativar novos clientes também?

Crescimento da lealdade

Lealdade nos dias de hoje é um desafio para todas as empresas, com exceção de amantes das marcas. Pessoas que não trocam por nada a marca que ama, nem por produtos genéricos ou similares.

Será que a sua marca consegue cativar suficientemente seus clientes para serem verdadeiros amantes? Ou procura proporcionar um custo-benefício para gerar interesse de compra?

Algumas empresas promovem cupons de descontos, cartões de fidelidade e outros, gerando descontos rápidos para o cliente perceba a vantagem de continuar comprando na empresa.

Nas suas ações, nunca se esqueça que você poderá proporcionar e cultivar a lealdade dos clientes.Esses três aspectos precisam permear qualquer estratégia elaborada na sua empresa!

 

Anúncios
brand, Cultura Organizacional, Empresário, Gestão empresarial, Mundo virtual, Planejamento, redes sociais

Prepare o treinamento dos funcionários para as redes sociais


Não perca o fio da meada, este artigo faz parte da continuidade o processo de planejamento implantação da empresa nas redes sociais. Você tem a seguinte sequência:  Introdução,  Passos 1 a 3Passos 4 a 6, Passo 7 a 9 e passo 10 é que composto por três artigos – este artigo, o publicado no Blog do Empreendedor e o próximo.

Ter um momento de capacitação para os funcionário é um passo fundamental para ter efetividade, antes da presença da sua empresa nas redes sociais.

Essa participação precisa ser feita de forma tranquila e coerente com a realidade da empresa, quanto ao perfil dos funcionários e os recursos a serem investidos.

No primeiro momento, faz-se necessário compreender os perfis de funcionários existentes na empresa. Essa ‘arquitetura organizacional’ dos perfis poderá ser agrupada da seguinte forma:

  •  Os nativos digitais: nasceram envolvidos nas mídias digitais, estão sempre presentes nas diversas plataformas e possuem facilidade de fazer uso de novidades, além de considerar tudo natural e familiar;
  • Os experientes tecnológicos: sentem-se confortáveis em manusear as plataformas sociais e digitais, mas se aproximam das novas plataformas com bastante cautela. Eles têm a tendência de se voltar para ferramentas que apoiem no gerenciamento de suas rotinas de trabalho e ou pessoal;
  • Os relutantes digitais: aqueles que já escutaram falar a respeito das redes sociais, no contexto do mundo digital, mas relutam em se inserir nesse meio ou explorar o espaco digital. Utilizam até celulares avançados tecnologicamente e consideram isso como suficiente.
  • Os avessos digitais: são pessoas que podem até ter escutado falar sobre as redes digitais, mas preferem utilizar os meios de comunicacão tradicional. Chegam a ter uma conta de email, mas raramente checam as mensagens recebidas;
  • Os iniciantes: esses, não utilizam as redes sociais por desconhecimento, tocam suas vidas e buscam soluções tradicionais. Não pensam e nem conseguem captar a realidade do mundo digital.

Mas, atenção! Esse ‘agrupamento’ não é para denegrir ou desclassificar os funcionários. Serve para compreender a realidade e definir o nível de treinamento que deve ser realizado. Não indica que todos terão que atuar ativamente nas redes sociais, mas precisam saber:

  • existência e tendência de mercado
  • sobre a estratégia que a empresa pretende utilizar nas plataformas de redes sociais
  • quais os tipos de suporte e informações que a equipe eleita pela empresa precisará para atuar ativamente nas redes sociais
  • quais os questionamentos mais frequentes e
  • outras questoes inerentes à estrategia da empresa.

É interessante, quando for possível, que esse treinamento seja feito fora da empresa ou por um profissional externo, para que os funcionários não se sintam inibidos ou coagidos nesse processo de aprendizado e experimentação. Claro, que a apresentação das estratégias deverá ser feita por membros da própria empresa.

Também faz parte desse processo, formar multiplicadores na empresa, para que constantemente possam gerar espaços de diálogo, tirar dúvidas e para o desenvolvimento de novos funcionários.

A capacitação precisa levar em consideração alguns aspectos:

  • Ter uma proposta clara da atuação da empresa nas redes sociais
  • Ter um programa de treinamento que promova uma rede colaborativa
  • Ter ciência dos diferentes níveis de adesão e aprendizagem dos funcionários. Logo, criar  um programa que possa facilitar o aprendizado.
  • Apresentar questões práticas, conceitos e cenários
  • Monitar o progresso dos funcionários
  • Ser flexível para promover adaptações e a efetividade do treinamento
  • Ter literatura e fontes de pesquisa, antes, durante e depois do treinamento
  • Orientações de como fazer uso, sem cometer garfes – aula de etiqueta.
Não deixe de ter uma equipe multidiciplinar na sua empresa para gerenciar todo o processo e promover a implantação e manutenção da empresa nas redes sociais.
brand, Comportamento do consumidor, Marca

Pirataria: grandes marcas fragilizadas…


Gostaria de compartilhar este meu post no Blog Sebrae Pernambuco, eu reflito sobre as consequencias da pirataria das grandes marcas e o que isso tem haver com as pequenas empresas…. http://sebraepernambuco.wordpress.com/2009/11/15/pirataria-versus-grandes-marcas/

Aguardo seus comentários a respeito da temática!