Fidelização, Gestão empresarial, globosfera, Marca, Mercado, Modelo de negócio, Mundo virtual, redes sociais, Software livre, twitter, video viral

Lançamento de um empresa nas redes sociais


Fazer o lançamento de uma empresa nas redes sociais, não é só fazer o registro de um login, mas precisa ser profissionalizada para que haja repercussão e gere efetividade.

Lembrando que esse processo precisa ser planejado, como já foi citado nos artigos anteriores. Para ajudar a rever os passos desse planejamento, veja  os seguintes links:

Introdução,  Passos 1 a 3Passos 4 a 6, Passos 7 a 9 , Passo 10.1, Passo 10.2.

E no final e ao mesmo tempo o início de sua grande jornada nas redes sociais, a seguir você terá a explanação dos passos 11 a 13.

 11. Definir o visual da marca e imagem que será utilizada.

Em primeiro lugar, precisa existir coerência com a cultura organizacional e com seus clientes. Tomando essa idéia como ponto de partida, deve-se dar leveza a imagem da empresa nas redes sociais. Eu comparo a marca com nosso comportamento e nossa forma de se vestir para eventos formais e informais. Dessa forma, o comportamento da empresa nas redes sociais seria seu comportamento nos eventos informais que lhe pede um se vestir mais despojado ou casual, além de um comportamento e conversa mais descontraída e informal.

Algumas empresas, às vezes, criam um avatar ou mascote para representar um perfil que venha interegir com os clientes. Outras, elegem alguns colaboradores  ou uma área responsável para representar a empresa nessa interação, como por exemplo, o presidente da empresa, consultores de atendimento, SAC – serviço de atendimento a cliente, assessoria de imprensa, entre outros.

12. Realizar o testes de usabilidade.

É necessário realizar teste de todas as ferramentas que serão utilizadas. Além de não esquecer que o design precisa ser adatável para as diversas tecnologias utilizadas pelos potenciais clientes, como por exemplo, ser acessível em tablet, telefones celulares, netbooks, computadores. Além de poder ser usado o conteúdo nos diversos navegadores e sistemas operacionais.

Tudo isso porque a empresa poderá inserir no seu perfil corporativo conteúdo institucional, informativos, videos, games, enquetes, espaço colaborativo, tira dúvidas, orientações e curiosidades sobre o consumo dos produtos/serviços, links de promoções e ou ações que promovam dinamismo, experiência, emoção, isto é, um espaço interativo com o cliente.

 13. Lançar a empresa nas mídias digitais.

O interessante é elaborar um cronograma de eventos que possam promover o engajamento dos clientes.

Usar bastante a criatividade  para saber utilizar os mais variados canais tradicionais e digitais, mas que todos possam convergir ao acesso a plataforma de redes sociais que os clientes mais se identifiquem, como por exemplo, fun page, foursquare, blogs, twitter, youtube, vimeo, videolog, flickr, picasa, etc.

Tem empresa que começa com uma ação promocional em um espaço público, outras utilizando as mídias convencionais (rádio, tv, revista, jornal), além de divulgar nas próprias redes sociais com video viral, cupons de descontos, entrega de brindes, sorteios,etc.

A proposta precisa ser interessante e gerar uma experiência inusitada aos clientes!

Anúncios
Cultura Organizacional, Diferencial estratégico, Fidelização, Gestão, Gestão empresarial, globosfera, Mercado, Planejamento, redes sociais

Cocriação: um repensar na abordagem gerencial



Momento de refletir sobre sua abordagem estratégica de marketing e gerencial! Momento de atuar de forma conectada com o cliente, funcionários, fornecedores e parceiros dos canais de comercialização. Leia mais a respeito desse assunto no Artigo

Comportamento do consumidor, Diferencial estratégico, Fidelização, Gestão, Mercado, Oportunidade de negócio

Caso sua empresa desapareça, os clientes sentirão sua falta?


Você, dono de empresa, precisa fazer essa pergunta constantemente.
É uma grande forma de avaliar se você só está vendendo ou fidelizando seus clientes e realizando um atendimento diferenciado.

Pesquisadores americanos identificaram que as empresas, que todos amam e que sentiriam sua falta, são altamente lucrativas. Também descobriram algumas características que são comuns a todas elas, tais como:

• procura conciliar e alinhar os interesses de todos os atores, clientes, fornecedores, sócios, sociedade e entre outros que são envolvidos com a empresa;
• o pró-labore é coerente com a realidade da empresa;
• possuem a cultura de “portas abertas” de acesso aos gerentes e empresário;
• contratam pessoas que gostam “de gente” e são entusiasmadas com os clientes;
• veem os fornecedores como parceiros e colaboradores para melhoria da empresa;
• a remuneração e os benefícios para os funcionários são elevados para a categoria;
• possuem uma política de desenvolvimento e retenção de talentos;
• possuem baixos custos com marketing, perante as outras empresas; ao mesmo tempo, a sinergia de toda empresa, funcionários, gerencias, fornecedores são intensos na busca da satisfação e retenção de clientes.

Todas essas características, independente do porte da empresa, poderão ser colocadas em prática! Basta ter a força de vontade e união de forças com todos que fazem parte da empresa. É claro, não esquecendo de que você precisa conhecer muito bem seus clientes: como consomem seus produtos e serviços, como gostam de se ser tratados, seu estilo de vida, o que eles mais gostam e o que mais eles detestam, seus anseios ainda não atendidos quanto ao segmento da empresa que você trabalha.

Busque fazer a diferença na vida de seus clientes!

(Fonte: Kotler, 2010)