Diferencial estratégico, E-commerce, Gestão empresarial, Mercado, Oportunidade de negócio

E-commerce: ameaça ou oportunidade?


 

Anos atrás quanto aconteceu as primeiras iniciativas de venda pela internet, muitos consideravam que o comércio eletrônico era uma grande ameaça para os varejistas. O tempo foi passando o comercio eletrônico foi consolidando internacionalmente, melhorando seu desempenho operacional, os governos criando legislações específicas e cada vez mais adesão dos clientes de diversas idades na realização das compras.

Atualmente, já se é visto como mais um canal de comercialização para os varejistas tradicionais, uma vez que só consideravam como estratégia de crescimento utilizando os seguintes artifícios:

– abertura de uma filial

– aumentando o espaço fixo

– aumentando mix de produto

– desenvolvendo franquias de seus empreendimentos

As opções citadas não deixaram de ser consideradas, mas precisa-se observar que o comércio eletrônico para alguns tipos de empreendimentos é bem mais interessante e estratégico.

Os varejistas tradicionais brasileiros precisam rever suas estratégicas e começar a rever toda sua estrutura de comunicação e relacionamento com o cliente pela web. Empresas de vanguarda internacionalmente já utilizam os seguintes canais:

– Fanpage, pelo facebook.

– Pinterest, apresentação de seu catálogo de produtos, além de imagem com situações e opções de uso do produto.

– Instagram, mensagem rápidas e novidades quentes para os clientes amantes por novidades

– Foursquare, promover a divulgação boca a boca da sua empresa pelos clientes que fazem questão de dizer para os amigos e conhecidos que esteve na sua empresa, além de você poder fazer ações promocionais para os principais frequentadores.

– Twitter, informações breves, utilizando hastags.

– Google map, para geolocalizar sua empresa.

– Youtube, Vimeo ou similares, para pequenos vídeos sobre a empresa e make off mostrando tudo que a empresa tem feito nos bastidores para proporcionar a satisfação e engajamento dos clientes.

– Tripadvisor e similares – importante para o segmento de turismo

– Site oficial da empresa bem apresentado, atualizado e com monitoramento no espaço “fale conosco”

– Loja virtual – e-commerce vendendo sua principal linha de produtos e de acordo com o caso as opções com produtos customizados e ou atendendo uma linha de nicho de mercado que sua empresa física não teria condições de atender.

Voltando ao foco deste artigo, o e-commerce não é uma ameaça quando é bem trabalhada na web e fisicamente. Precisa-se ter integração dos canais, pois os clientes já possuem vida na web e fisicamente e a empresa precisa mostrar que está presente aonde o cliente vai e curte.

Sua empresa precusa estar integrada nas redes sociais, comércio eletrônico e a loja física!

Gestão empresarial, Mercado, Modelo de negócio, Mundo virtual, Plano de negócio

Negócio virtual ou presencial? – final


As reflexões feitas nos artigos sobre negócio virtual ou presencial – parte 1 e parte 2 demonstram muitas similaridades e diferenças quanto aos procedimentos e aspectos legais. Entretanto, precisamos rever a nossa forma de pensar e de interagir nesses ambientes.

Para finalizar a temática comparativa com este artigo, você poderá observar que todo e qualquer empreendimento precisa de um esforço de trabalho e de pessoal para a área de retaguarda ou como chamam em inglês “Back Office”. Essa área é importantíssima para que tudo possa fluir bem quanto ao relacionamento com o cliente.

Existem vários aspectos, mas foram escolhidos alguns que são considerados básicos para qualquer empresa:

Processo e procedimentos de pagamento

Presencial

  • De acordo com a política da empresa, o pagamento geralmente é realizado no caixa e apresentado às modalidades: dinheiro, cartão de crédito: crédito e débito, etc.

Virtual

  • Faz-se necessário o preenchimento de um cadastro de dados pessoais e endereço pessoal e de entrega, além de se gerar uma senha de acesso ao cadastro. Atualmente, algumas empresas estão colocando a opção facultativa para o preenchimento do cadastro pessoal, e obrigatórios os dados para pagamento e de entrega do produto.

Entrega do produto e prazos

Presencial

  • Entrega de imediato, após comprovação do pagamento ou – de acordo com os serviços oferecidos e o tipo de produto comercializado –  realiza-se a entrega em domicílio.

Virtual

  • De acordo com o tipo de produto que é comercializado e a infraestrutura da empresa são oferecem as seguintes opções: delivery, correios, transportadoras, retirar em um ponto de fixo de venda, etc.
  • De acordo com a modalidade da entrega, deve-se informar com clareza o prazo de entrega e meios para rastrear o processo de entrega.

Horário de funcionamento

Presencial

  • Horário comercial estabelecido de acordo com a localização do estabelecimento. Geralmente, os horários de comércio de rua, galerias, shoppings possuem regras diferentes de funcionamento.

Virtual

  • Funciona 24 horas. Se o empreendimento oferece um serviço de online de orientação ou tira dúvidas, precisa definir o horário, caso não consiga oferecer 24 horas.

Problemas e insatisfações

Presencial

  • Telefone e no próprio ponto comercial para dialogar e buscar uma solução.

Virtual

  • Acesso por via os canais disponíveis: SAC, email, Facebook, Twitter, telefone, call center, sites de reclamação. É fundamental ter agilidade para resolver o problema, para evitar danos à imagem da empresa.

Possibilidades de troca

Presencial

  • Ir à loja ir realizar a troca, conforme o direito do consumidor.

Virtual

  • Possui o direito do chamado ‘arrependimento de compra’. Geralmente, a loja tem que enviar o código para postagem gratuita ou envio de transportadora para pegar o produto sem ônus para o cliente. Precisa ter regras claras no site, além do cumprimento do direito do consumidor que está em fase de adaptação quanto às questões de prazo, legalmente.

Construção de relacionamento com o Cliente

Presencial

  • Atendimento pós-venda, mensagens de novas coleções, envio de catálogos e através de redes sociais.

Virtual

  • Através de redes sociais, blogs e divulgadores da marca.
  • Deve-se buscar desde a fase de captação de cliente até pós-consumo do produto e serviço.

Gestão de estoque

Presencial

  • Categorizar os produtos de maior e menor giro nas vendas, como também sua variação de margem de venda.
  • Gerenciar os prazos de entrega dos produtos de acordo com seus fornecedores.
  • Evitar a falta do produto para não haver ruptura de venda
  • Monitorar se os produtos estão efetivamente expostos para comercialização.

Virtual

  • Gerenciar constantemente se o produto está disponível, para oficializá-lo na divulgação no site.
  • Categorizar os produtos de maior e menor giro nas vendas, como também sua variação de margem de venda.
  • Gerenciar os prazos de entrega dos produtos de acordo com seus fornecedores.
  • Evitar a falta do produto para não haver ruptura de venda

Gestão financeira

Presencial e Virtual

  • Fluxo de caixa, contas a receber e a pagar, etc.
  • Gerenciamento do capital de giro
  • Pagamento dos custos fixos da empresa
  • Definição do pró-labore
  • Planejamento orçamentário e de novos investimentos.

Indicadores de Resultados

Os indicadores contribuem para o gerenciamento dos resultados da empresa como também na tomada de decisão diária da empresa

Presencial

  • Rentabilidade
  • Lucratividade
  • Ticket médio de vendas
  • Faturamento por área de vendas
  • Vendas por categoria de produtos
  • Canal de publicidade utilizado e sua efetividade nas vendas
  • Quantidade de clientes ativos e inativos
  • Quantidade de novos clientes
  • E outros específicos com a atividade

Virtual

  • Custo de aquisição de clientes
  • Receita por cliente
  • Palavras e expressões importantes que direciona tráfego de cliente para o site
  • Eficácia nos mecanismos de recomendações
  • Resultado no marketing viral ou o compartilhamento e forma orgânica
  • Listas eficazes de discussão

A partir desses 03 artigos, fica claro que o empresário precisa ter conhecimento de gestão empresarial e do ambiente em que vai atuar comercialmente, para ter a capacidade de discernimento nas suas decisões.

É de grande importância ‘quebrar’ a mentalidade de achar que é tudo diferente entre o presencial e o virtual. Esses dois ambientes já se misturam e geram efeitos positivos e negativos nos negócios. Eles já possuem seus desafios como negócios. Assim, pode ser um grande engano achar que um é mais fácil do que o outro.

Bons Negócios para todos!

Gestão empresarial, globosfera, Inovação, Mercado, Merchandising, Modelo de negócio, Plano de negócio, redes sociais

Negócio virtual ou presencial? – parte 2


Dando continuidade ao artigo “Negócio virtual ou presencial?”, vamos continuar a análise das diferenças e similaridades de negócios no ambiente digital e negócios presenciais.

Neste artigo, os aspectos serão explanados sobre as formas de pagamento e alguns aspectos de mercado que se referem à  imagem da empresa e interatividade.

Formas de pagamento

Presencial

  • Cartão de crédito e débito, dinheiro, cheque, boleto bancário por via financeiras

Virtual

  • Cartão de crédito e débito, boleto bancário, mediadores de pagamento (paypal, pagueseguro, moip).

Mercado

Os aspectos que tratam sobre a imagem da empresa e interatividade com o cliente podem estar divididos como produtos no ambiente, em vitrine, experiência de ver e tocar o produto e publicidade.

Disposição do Produto no ambiente

Presencial

  • Trabalhar todo o layout de loja nos conceitos de merchandising

Virtual

  • Trabalhar o layout da página com design, explorando os pontos quentes da página
  • Fotografias de alta resolução
  • Textos descritivos do produto  do produto e que aborde alternativas de como consumir e que transmita emoção de consumo

Vitrine

Presencial

  • Importante espaço para atrair clientes. Precisa ser tematizada e gerar significado para o consumidor, além da necessidade de alterações com certa periodicidade.

Virtual

  • Primeira página é crucial para o cliente querer navegar ou abandonar o site, não se pode gerar distração para o cliente. Precisa atrair o cliente, mas, com foco claro. O seu layout poderá influenciar na credibilidade e aceitação do cliente.
  • Precisa mudar os produtos com certa frequência, de acordo com a dinâmica do mercado que você atua e as ofensivas da concorrência.

Experiência de ver e tocar o produto

Presencial

  • O cliente pode tocar e testar o produto, além de ter um vendedor para orientar e tirar as dúvidas. Todos os sentidos sensoriais podem ser explorados.

Virtual

  • Via fotografia e lentes para gerar zoom dos aspectos que o cliente se interesse. As orientações e dúvidas poderão ser tiradas pelo FAQ ou chat online de vendedores.
  • Algumas empresas já estão realizando o recurso de realidade aumentada.

Publicidade

Presencial

  • Ter um cronograma para realizar ações que venham consolidar a marca, estimular a venda de produtos e promover a memorização do cliente. Essas ações poderão ser eventos tematizados, divulgação nas mídias tradicionais (rádio, TV, outdoor, outbus, planfetos, etc) e na internet,  se a empresa tiver um canal de comunicação com os clientes pela web.

Virtual

  • Ter um cronograma para os meios de divulgação online, site de comparação de preço, além de saber inserir tag (palavra-chave) eficazes para gerar tráfego no site. Em alguns casos, realizar divulgação fora da internet.

No próximo artigo e, por último, será sobre os aspectos logísticos e de gestão na área de retaguarda.

Até a próxima semana!

Estratégias, Finanças, Geração X, Y e Z, Gestão empresarial, Marca, Mundo virtual

Negócio virtual ou presencial?


 

Com o avanço dos negócios no ambiente digital, muitos consideram de forma equivocada que esse ambiente é fácil e simples de empreender , até pelo fato de alguns sucessos terem sido destacados pela mídia.

O detalhe disso é que o ambiente dos negócios está mais volátil tanto para o sucesso ou para o fracasso, além de já existir a cultura, no Brasil, do empreendedor serial, ou seja, aquele que empreende  estrategicamente,  para depois vender o próprio empreendimento.

Vou  apresentar inicialmente algumas diferenças e similaridades entre empreender no comércio eletrônico e no presencial, quanto aos aspectos: ponto comercial, marca e aspectos legais.

Ponto comercial

Presencial

  • Escolha da localização estrategicamente de acordo com o produto, serviço a ser comercializado e o público-alvo.
  • Análise da infraestrutura do local que precisa atender a abordagem definida, além do custo benefício de investimento de reforma.
  • Dispêndios quanto ao investimento inicial e as despesas fixas, tais como, aluguel, IPTU, alvará de funcionamento, licença do corpo de bombeiros, energia, telefone, segurança, etc.

Virtual

  • Plataforma e hospedagem do site estável, que não tenha histórico de ter deixado páginas fora do ar.
  • Escolha de construir de forma customizada o site e ou escolher templates pré-formatados que tenha a ver com abordagem comercial definida, além do custo benefício com relação ao engajamento dos clientes.
  • Dispêndios quanto ao investimento inicial e as despesas fixas, tais como, mensalidade da hospedagem do site, aluguel do depósito, IPTU, alvará de funcionamento, licença do corpo dos bombeiros, energia, telefone, segurança, etc.

Nome comercial

Presencial

  • Definição do nome da empresa e sua logomarca.
  • Proteção da marca no INPI.
  • Pagamento do decênio do INPI para exclusividade de uso da marca.

Virtual

  • Definição do nome da empresa, logomarca e domínio livre na internet.
  • Proteção da marca no INPI.
  • Pagamento do decênio do INPI para exclusividade de uso da marca.
  • Pagamento da anuidade para exclusividade do domínio.

Legalização da empresa

Presencial

  • CNPJ, Inscrição estadual, endereço comercial, alvará de funcionamento, licença do corpo dos bombeiros e outros aspectos legais,  de acordo com segmento de atuação.

Virtual

  • Além do endereço eletrônico, precisa do endereço físico para o CNPJ, Inscrição estadual, endereço comercial, alvará de funcionamento, licença do corpo dos bombeiros e outros aspectos legais de acordo com segmento escolhido.

Aspecto legal do consumidor

Presencial

  • Cumprir e ter para fácil acesso o direito do consumidor.

Virtual

  • Seguir o direito do consumidor e decreto 7962, além de monitorar os ajustes da legislação que está sendo elaborada.

 

Diante do exposto pode-se observar que vai fazer a diferença conhecer sobre o mercado consumidor para melhor tomar as decisões dessas questões iniciais. No próximo artigo serão abordadas outras questões quanto a diferenças e similaridades entre o comércio eletrônico e presencial.