Empresa familiar, Gestão empresarial

Processo de sucessão de uma empresa familiar


Muitas empresas familiares não sobrevivem no processo de transição de uma geração para a outra. Segundo Lodi, 50% das empresas morrem na passagem da primeira para a segunda geração e 34% não sobrevivem na transição da segunda para a terceira. 

Mesmo com essa estatística, ainda existe a falta de profissionalismo para o processo de sucessão, principalmente nas pequenas empresas. Essa falta de profissionalismo advém do tratamento desse assunto acontecer só no fórum familiar, esquecendo o ambiente empresarial. O processo de sucessão é influenciado por três aspectos: o perfil do fundador da empresa, a configuração da cultura da empresa, a cultura da família, e da própria transição da sucessão.

Geralmente há sucesso o processo da sucessão familiar na empresa, quando o fundador tem a clareza do tempo de acontecer à transição, abertura para mudanças e saber preparar o(s) possível (eis) sucessor (es), mas também precisa que a cultura familiar haja coerência, senso de justiça, diálogo e espírito colaborativo entre os membros da família. Quanto à cultura da empresa, é necessário que seja também colaborativa e profissional e não centralizador e ou paternalista.empresa-familiar

A própria transição precisa ser planejada tanto na formação profissional do sucessor, como também a inserção do mesmo na empresa. É importante que o sucedido acompanhe o sucessor na empresa e vá gerando empoderamento e autonomia do sucessor nas decisões. Caso esse momento não consiga fluir, faz necessário a presença de um terceiro para apoiar o processo. Esse terceiro poderá ser um outro parente, o contador, um consultor ou um amigo da família que possua legitimidade perante os familiares para possa intervir e mediar este momento.

Se sua empresa está nesta situação, não deixe de buscar orientação, antes que seja tarde demais.

 

Alguns critérios para o sucesso da sucessão empresarial:

  • Eqüitativa separação de bens dos negócios
  • Interdependência familiar – relacionamento do sucessor
  • Família manter a empresa sob a gestão do sucessor
  • Suspensão da família da gestão dos negócios
  • Decisão livre do sucessor para tornar-se sócio da empresa
  • O sucessor ter um bom relacionamento com os funcionários
  • Existência formal do plano de sucessão
  • Experiência do sucessor fora dos negócios da família
  • Experiência do sucessor em diferentes papéis dentro do negócio familiar
Empreendedor, Empresário, Gestão empresarial

Você sabe quanto é seu pró-labore?


Pró-labore é a remuneração das pessoas que administram a empresa e no caso da micro e pequena empresa, na grande maioria, é a remuneração do próprio dono. Não confunda com lucro ou “apurado” da empresa o que você estimula para fazer suas retiradas….

Pró-labore é um valor fixo ou em alguns casos,  poderá ser um valor variável quando o dono da empresa define que sua remuneração é um percentual do faturamento.

Geralmente, o valor é definido pelo mercado e pela capacidade financeira da empresa. A clareza de quanto é o valor do pró-labore é muito importante para o dia-a-dia da gestão financeira de uma empresa, tendo em vista de que se deve respeitar a capacidade de geração de recursos da empresa e não retirando mais do que a empresa poderá gerar. Quando isso acontece, você estará descapitalizando a empresa, aos poucos sentindo falta de capital de giro da empresa e a incapacidade de gerar negócios e seu respectivo lucro.

E muitos empresários, quando se pergunta, quanto é o seu pró-labore? não sabem ou dizem que só trabalham e não vêem “a cor do dinheiro”. Nessas situações, costumo perguntá-los se eles possuem outra fonte de renda e ou  quem paga seu cartão de crédito no final do mês, sua alimentação, a manutenção de sua casa e outras despesas pessoais. Esses mesmos empresários, respondem que misturam essas contas com os outros pagamentos da empresa. 115847668_cf2145d069_m

Enfim, se você não sabe quanto é de fato seu pró-labore, comece de imediato a somar todas as despesas pessoais que a empresa tem pago!  Depois, de acordo com sua realidade, faça um compromisso com você mesmo e comece a registrar todas as suas retiradas para fins pessoais com objetivo de saber seu pró-labore real e se essas retiradas estão afetando a saúde financeira da sua empresa.

Já vi casos de empresários estarem sem condições de honrar os compromissos financeiros da empresa e que o empreendimento não está dando o retorno necessários, mas verifica-se que a empresa está pagando o leasing do carro particular ou construindo sua casa de praia…

Não quero dizer que sou contra o conforto e a concretização dos seus sonhos pessoais, mas tudo é possível quando se planeja financeiramente e se trabalha com metas para o crescimento do faturamento da empresa, havendo sustentabilidade e realização de seus sonhos de consumo.

Por Conceição Moraes