Fidelização, Gestão empresarial, globosfera, Marca, Mercado, Modelo de negócio, Mundo virtual, redes sociais, Software livre, twitter, video viral

Lançamento de um empresa nas redes sociais


Fazer o lançamento de uma empresa nas redes sociais, não é só fazer o registro de um login, mas precisa ser profissionalizada para que haja repercussão e gere efetividade.

Lembrando que esse processo precisa ser planejado, como já foi citado nos artigos anteriores. Para ajudar a rever os passos desse planejamento, veja  os seguintes links:

Introdução,  Passos 1 a 3Passos 4 a 6, Passos 7 a 9 , Passo 10.1, Passo 10.2.

E no final e ao mesmo tempo o início de sua grande jornada nas redes sociais, a seguir você terá a explanação dos passos 11 a 13.

 11. Definir o visual da marca e imagem que será utilizada.

Em primeiro lugar, precisa existir coerência com a cultura organizacional e com seus clientes. Tomando essa idéia como ponto de partida, deve-se dar leveza a imagem da empresa nas redes sociais. Eu comparo a marca com nosso comportamento e nossa forma de se vestir para eventos formais e informais. Dessa forma, o comportamento da empresa nas redes sociais seria seu comportamento nos eventos informais que lhe pede um se vestir mais despojado ou casual, além de um comportamento e conversa mais descontraída e informal.

Algumas empresas, às vezes, criam um avatar ou mascote para representar um perfil que venha interegir com os clientes. Outras, elegem alguns colaboradores  ou uma área responsável para representar a empresa nessa interação, como por exemplo, o presidente da empresa, consultores de atendimento, SAC – serviço de atendimento a cliente, assessoria de imprensa, entre outros.

12. Realizar o testes de usabilidade.

É necessário realizar teste de todas as ferramentas que serão utilizadas. Além de não esquecer que o design precisa ser adatável para as diversas tecnologias utilizadas pelos potenciais clientes, como por exemplo, ser acessível em tablet, telefones celulares, netbooks, computadores. Além de poder ser usado o conteúdo nos diversos navegadores e sistemas operacionais.

Tudo isso porque a empresa poderá inserir no seu perfil corporativo conteúdo institucional, informativos, videos, games, enquetes, espaço colaborativo, tira dúvidas, orientações e curiosidades sobre o consumo dos produtos/serviços, links de promoções e ou ações que promovam dinamismo, experiência, emoção, isto é, um espaço interativo com o cliente.

 13. Lançar a empresa nas mídias digitais.

O interessante é elaborar um cronograma de eventos que possam promover o engajamento dos clientes.

Usar bastante a criatividade  para saber utilizar os mais variados canais tradicionais e digitais, mas que todos possam convergir ao acesso a plataforma de redes sociais que os clientes mais se identifiquem, como por exemplo, fun page, foursquare, blogs, twitter, youtube, vimeo, videolog, flickr, picasa, etc.

Tem empresa que começa com uma ação promocional em um espaço público, outras utilizando as mídias convencionais (rádio, tv, revista, jornal), além de divulgar nas próprias redes sociais com video viral, cupons de descontos, entrega de brindes, sorteios,etc.

A proposta precisa ser interessante e gerar uma experiência inusitada aos clientes!

Anúncios
brand, Cultura Organizacional, Empresário, Gestão empresarial, Mundo virtual, Planejamento, redes sociais

Prepare o treinamento dos funcionários para as redes sociais


Não perca o fio da meada, este artigo faz parte da continuidade o processo de planejamento implantação da empresa nas redes sociais. Você tem a seguinte sequência:  Introdução,  Passos 1 a 3Passos 4 a 6, Passo 7 a 9 e passo 10 é que composto por três artigos – este artigo, o publicado no Blog do Empreendedor e o próximo.

Ter um momento de capacitação para os funcionário é um passo fundamental para ter efetividade, antes da presença da sua empresa nas redes sociais.

Essa participação precisa ser feita de forma tranquila e coerente com a realidade da empresa, quanto ao perfil dos funcionários e os recursos a serem investidos.

No primeiro momento, faz-se necessário compreender os perfis de funcionários existentes na empresa. Essa ‘arquitetura organizacional’ dos perfis poderá ser agrupada da seguinte forma:

  •  Os nativos digitais: nasceram envolvidos nas mídias digitais, estão sempre presentes nas diversas plataformas e possuem facilidade de fazer uso de novidades, além de considerar tudo natural e familiar;
  • Os experientes tecnológicos: sentem-se confortáveis em manusear as plataformas sociais e digitais, mas se aproximam das novas plataformas com bastante cautela. Eles têm a tendência de se voltar para ferramentas que apoiem no gerenciamento de suas rotinas de trabalho e ou pessoal;
  • Os relutantes digitais: aqueles que já escutaram falar a respeito das redes sociais, no contexto do mundo digital, mas relutam em se inserir nesse meio ou explorar o espaco digital. Utilizam até celulares avançados tecnologicamente e consideram isso como suficiente.
  • Os avessos digitais: são pessoas que podem até ter escutado falar sobre as redes digitais, mas preferem utilizar os meios de comunicacão tradicional. Chegam a ter uma conta de email, mas raramente checam as mensagens recebidas;
  • Os iniciantes: esses, não utilizam as redes sociais por desconhecimento, tocam suas vidas e buscam soluções tradicionais. Não pensam e nem conseguem captar a realidade do mundo digital.

Mas, atenção! Esse ‘agrupamento’ não é para denegrir ou desclassificar os funcionários. Serve para compreender a realidade e definir o nível de treinamento que deve ser realizado. Não indica que todos terão que atuar ativamente nas redes sociais, mas precisam saber:

  • existência e tendência de mercado
  • sobre a estratégia que a empresa pretende utilizar nas plataformas de redes sociais
  • quais os tipos de suporte e informações que a equipe eleita pela empresa precisará para atuar ativamente nas redes sociais
  • quais os questionamentos mais frequentes e
  • outras questoes inerentes à estrategia da empresa.

É interessante, quando for possível, que esse treinamento seja feito fora da empresa ou por um profissional externo, para que os funcionários não se sintam inibidos ou coagidos nesse processo de aprendizado e experimentação. Claro, que a apresentação das estratégias deverá ser feita por membros da própria empresa.

Também faz parte desse processo, formar multiplicadores na empresa, para que constantemente possam gerar espaços de diálogo, tirar dúvidas e para o desenvolvimento de novos funcionários.

A capacitação precisa levar em consideração alguns aspectos:

  • Ter uma proposta clara da atuação da empresa nas redes sociais
  • Ter um programa de treinamento que promova uma rede colaborativa
  • Ter ciência dos diferentes níveis de adesão e aprendizagem dos funcionários. Logo, criar  um programa que possa facilitar o aprendizado.
  • Apresentar questões práticas, conceitos e cenários
  • Monitar o progresso dos funcionários
  • Ser flexível para promover adaptações e a efetividade do treinamento
  • Ter literatura e fontes de pesquisa, antes, durante e depois do treinamento
  • Orientações de como fazer uso, sem cometer garfes – aula de etiqueta.
Não deixe de ter uma equipe multidiciplinar na sua empresa para gerenciar todo o processo e promover a implantação e manutenção da empresa nas redes sociais.
Diferencial estratégico, Gestão de serviços, globosfera, Mercado, Mundo virtual, Oportunidade de negócio, redes sociais

Como são as principais práticas empresáriais nas redes sociais?


A criatividade é a palavra-chave do sucesso de uma empresa nas redes sociais. Acompanhe algumas práticas que já estão sendo realizadas. Leia mais neste meu artigo http://blogs.diariodepernambuco.com.br/empreendedor/?p=235.

Proveite!

Diferencial estratégico, Mercado, Merchandising, Mundo virtual, redes sociais

Como monitorar sua empresa nas mídias sociais?


Dando continuidade no processo de gerenciar a marca da sua empresa nas midias sociais, deve planejar todas as ações a serem realizadas. Para quem precisa revisar alguns passos iniciais, segue os links da série de artigos que compõe essa construção:  Introdução,  Passos 1 a 3 e Passos 4 a 6.

Este artigo apresenta os passos 7 a 9 do planejamento. Como se pode acompanhar a seguir:

7. Definir os indicadores e as metas mensuráveis da empresa na web : métricas

A definição dos indicadores e das metas, depende da proposta traçada pela empresa. Pode-se observar a efetividade de algumas propostas de utilização das redes sociais, segundo a profissional @repcor, mostra as propostas mais implementadas, tais como:

88% gerar exposição da empresa

77% aumentar o número de acesso e assinantes para receber todas as novidades,

62% melhorar o ranqueamento nos sites de busca,

56% aumentar de parcerias comerciais,

51% gerar seguidores e ou clientes interessantes,

49% reduzir as despesas de marketing em geral,

43% aumentar as vendas.

Não se pode esquecer dos principais indicadores que envolve o resultado de várias mídias digitais, como por exemplo:

  • Visibilidade
    • Quantas vezes a marca é citada na internet?
    • Qual o tipo de discurso das citações? Positivo? Negativo? Indiferente?
  • Influência
    • Quem são os autores das menções(citações)? Clientes? Não identificado? Autoridades? Blogueiros? Pessoas que possuem grande número de seguidores?
  • Engajamento
    • Qual o nivel de engajamento das pessoas perante a marca? Compartilham as informacoes sobre a marca com que frequência? Casualmente?  Frenquentemente?  Defendem a empresa viemente?
  • Fidelização
    • Qual o número de links relacionados com assunto publicado? Quantidade de compartilhamento?
  • Percepção de valores
    • Como se encontra a lealdade para com a empresa? Qual a qualidade dos comentários e post relacionados? Qual a quantidade de interação com a marca? Qual o histórico de crescimento ou de perdas de seguidores?
  • Desenvolvimento de negócios lucrativos
    • Qual o volume de vendas atual  e houve aumento? Qual a velocidade do aumento das vendas?

A partir dessas reflexões, deve-se eleger os indicadores e metas que possam ser quantificadas.

Depois dessa atividade, a seguir você poderá escolher melhor quais as ferramentas gratuítas e ou pagas para realizar o monitoramento.

8. Escolher as ferramentas para monitoramento.

Para escolher as ferramentas, é interessante considerar algumas questões:

  • Qual a premissa de sucesso para empresa? E como medir?
  • Como avaliar o comportamento dos clientes?
  • Há funcionários na empresa treinados para saber fazer o monitoramento e análise das informações? Caso não tenha, onde capacitá-los?
  • Como implantar as ferramentas de monitoramento?
  • Qual a estrutura de relatório de monitoramento? Terá itens padronizados?

Atualmente na internet, há uma diversidade de ferramantas de monitoramento. A principal questão é escolher a que mais se contribui para pesquisar os indicadores previamente definidos, conforme o passo 7.

Algumas ferramentas já foram citadas no passo 4 e 5 para pesquisa de diagnóstico, mas não para por aí. Segue algumas outras para você escolher:

A seguir, deve-se consolidar todas as ações.

9. Elaborar uma matriz das midias digitais a serem utilizadas com o plano de comunicação, conteúdo e as métricas

Construir uma matriz irá contribuir para alinhar todas atividades. Essa matriz deverá compor as seguintes informações:

  • O que fazer?
  • Quando?
  • Onde?
  • Como?
  • Por que?
  • Quanto vai custar?
No próximo artigo, apresentarei com exemplos de como estão utilizando algumas plataformas de redes sociais a favor das empresas.
globosfera, Mundo virtual, redes sociais

Pesquisa e inclusão empresarial nas mídias sociais


As pessoas e empresas, no Brasil, vêm avançando na utilização das redes sociais. Como se pode observar no quadro estatístico elaborado por comScore, empresa internacional de monitaramento digital:

 E na semana passa, foi ao ar uma reportagem sobre as redes sociais que você poderá assistir através deste link  http://g1.globo.com/videos/jornal-da-globo/v/redes-sociais-mudam-jeito-de-se-comunicar-atraves-da-internet/1602357/

Diante do exposto, é importante começar a planejar a inclusão da sua empresa nas redes sociais.

O início do planejamento pode-se rever nos seguintes links Introdução e Passos 1 a 3.

E dando continuidade ao planejamento, a seguir será detalhado os passos 4 ao 6.

Antes de definir e escolher as soluções digitais, sempre é bom realizar uma sondagem para conhecer o que está sendo utilizado e como a concorrência está atuando. Logo, comece a executar as seguintes ações:

4. Pesquisar sobre sua empresa e da concorrência nas mídias digitais.

Fora as pesquisas de campo tradicionais e das analises de informações gerenciais, deve-se aprofundar, essencialmente, a pesquisa na internet.

Pesquisar os dados quantitativos e qualitativos sobre sua empresa e concorrência, utilizando os vários aplicativos de busca e monitoramento das redes sociais, como por exemplo:

5. Mapear as tendências e as melhores práticas na presença digital

Boa parte das melhores práticas estão públicas em videos e estão sendo objeto de artigo de sites especializados e Blogs. Logo, novamente se deve acompanhar na internet através das RSS Feed, que é um agregador de conteúdo que envia as novidades, dos principais aplicativos, tais como:

  • Google Alert
  • Sites oficiais das plataformas dos blogs, etc.

Segundo a TechLab, as empresas mais presente na internet realizam as seguintes atividades:

51% escrevem Blogs.

55% deixam comentários emBlogs.

55% assinam algum tipo de RSS.

57% gerenciam perfis em redes sociais.

62% visitam Sites de Compartilhamento de fotos.

63% ouvem podcasts

68% fazem upload de vídeos

71% fazem upload de fotos

87% lêem Blogs

94% assistem Vídeos online

Será necessário conhecer as expressões em inglês sobre as estratégias e abordagem utilizadas para ajudar nas pesquisas. Atualmente, existe muitas novidades internacionais que estão sendo reproduzidas no Brasil.

                                    6. Definir os pontos de contato digitais

De acordo com o perfil do público-alvo da empresa e o resultado do levantamento os passos 1 a 5, deve-se escolher os contatos digitais que a empresa pretente manter e se relacionar com os clientes. Tais como:

Depois da escolha dos meios de contato, escolha a imagem da marca, dados da empresa, o nome oficial que será utilizado no cadastro em cada plataforma.
Acho que terão bastante trabalho com esses passos… O próximo post darei continuidade.
Balance Score Card, Gestão empresarial, globosfera, Mundo virtual, Planejamento, redes sociais

Os três primeiros passos do planejamento para inclusão de sua empresa nas redes sociais


Os primeiros passos são fundamentais para qualquer planejamento; entretanto, o que se deve dar ênfase é a perspectiva de análise – um olhar pelo prisma do mundo digital.

O diagnóstico pode ser feito pela metodologia SWOT e as cinco forças de Porter para apoiar na análise da empresa e do ambiente em ela está inserida.

Essa reflexão dos pontos fortes e fracos, ameaças e oportunidades deve contemplar os aspectos básicos da empresa e principalmente quanto a dinâmica do mundo digital. Para tal, segue algumas perguntas que ajudaram detalhar cada passo e que precisam ser respondidas sobre de sua empresa:

Passo 1 – Realizar um diagnóstico da situação atual da empresa: interna e externamente

 

  • Qual a política e normas da empresa para os ao acesso a internet, emails, redes sociais, blogs, download e outros aplicativos?
  • Qual a realidade de seus funcionários quanto ao uso de tecnologia e das mídias sociais? Sabem acessar a internet? Fazem uso das redes sociais para uso pessoal e ou profissional?
  • Se fazem uso das redes sociais, o que estão falando e quais redes eles participam? Qual o grau de seu engamento nessas redes?
  • Como sua concorrência faz uso das mídias sociais? Fidelização de clientes? Reforço de marca? Proporcionando experiências com a marca? Comercializando produtos e serviços?
  • Qual a tendência de mercado do segmento em que participa? Tem surgido novos produtos e serviços?
  • Como anda seu relacionamento com fornecedores? Eles possuem abertura e flexibilidade nas negociações? São parceiros no processo de integração e desenvolvimento de novos serviços e produtos?
  • Qual o processo e estrutura de monitoramento da empresa quanto a clientes, concorrência e tendências de mercado? Existe uma rotina para tal? É eficaz na obtenção de informação e geração de conteúdo aplicável na empresa?

Passo 2 – Levantar as plataformas tecnológicas existentes

 

  • Qual a estrutura tecnológica? Qual a capacidade da banda larga utilizada? Qual a realidade dos equipamentos da empresa e os existentes no mercado?
  • Quais os software utilizados?
  • Qual a realidade do banco de dados da carteira de clientes? Está atualizado? Possui os contatos dos clientes pela internet? Consegue gerar relatórios segmentados?
  • Existe site? Ele é fácil navegar? Quantos cliques os clientes precisam dar para acessar as temáticas mais procuradas? Há links para compartilhar as informações? Há espaço para interagir com os clientes?
  • Existe plataformas de redes sociais integradas no site? Quais?
  • Quais as plataformas de midias sociais mais utilizadas no mercado? Quais são as plataformas totalmente gratuitas ou parcialmente?

 

Passo 3 – Analisar o comportamento do consumidor

 

  • Quem são seus clientes? Qual a renda e capacidade de compra? Qual a faixa etária? Onde estão localizados?
  • Quais são as motivações de compra?
  • Por que os clientes escolheram sua empresa?
  • Fazem uso das redes sociais? Quais as redes que mais fazem uso? O que eles mais curtem?
  • Quais os valores e princípios que seus clientes levam mais em consideração?
  • Qual o estilo de vida de seus clientes? Quanto tempo eles gastam fazendo uso da internet? Quais os dias da semana e horário que mais fazem uso da internet?
  • Possuem computador em casa? Onde eles fazem uso da internet: em casa, lanhouse, na empresa, pelo celular?
  • Qual o poder dos clientes? Ditam as regras? Há um consumo consciente dos produtos e serviços?
  • Qual a tendência do comportamento dos futuros consumidores?

 

O diagnóstico da empresa perante esses três primeiros passos não se limitam a responder todas essas perguntas, mas as considerem como ponto de partida de sua análise.

Até o próximo artigo em que darei continuidade aos demais passos.