Diferencial estratégico, Empreendedor, Estratégias, Mercado, Modelo de negócio, Oportunidade de negócio

A Estratégia do Oceano Azul sob a ótica do modelo de negócios


Conforme os artigos anteriores existem várias abordagens para analisar e validar um modelo de negócio. A abordagem que será tratado neste artigo é a estratégia conhecida como “oceano azul”. Essa abordagem procura sair literalmente do quadrado na forma de analisar as questões organizacionais e de mercado. – Romper as fronteiras para achar novas oportunidades e soluções.

Dessa forma é chamado todas as estratégias e abordagens convencionais como sendo “oceano vermelho” e as abordagens e estratégias que venham proprocionar o novo, rompendo fronteiras, é considerado “oceano azul”.

Na figura abaixo, pode-se observar a comparação do “oceano vermelho e azul”:

azulevermelho

A proposta do aceano azul vem contribuir para muitas empresas sairem da mesmice e das idéias fixas ao olhar o mercado e nas crenças que baseiam suas tomadas de decisões.

O “oceano azul” consiste em reduzir os custos e, ao mesmo tempo, aumentando o valor para os clientes, conforme figura abaixo:

Nesse contexto, deve-se analisar o modelo de negócio, a partir dos seguintes princípios:

  • Esse meu empreendimento:
    • Reconstrue novas fronteiras do mercado
    • Está concentrada no panorama geral, não inúmeros
    • Vai além da demanda existente
    • Existe uma sequência estratégica

Depois da validação, organize seu processo de implantação do seu empreendimento para superar as principais barreiras organizacionais e o planejamento da sua execução na estrategica.

Pense que existe um mar de oportunidade inexplorada ao você romper as estratégias e abordagens tradicionais.

 

Gestão empresarial

Análise de SWOT para modelo de negócio


Continuando a análise estratégica de um modelo de negócio, este artigo tem com objetivo fazer uma síntese da abordagem SWOT para modelo de negócio.

[Para os leitores que começou ler este artigo e queira conhecer o início dessa explanação, comece a ler o artigo deste link]

Essa avaliação vem contribuir para identificar o ambiente interno e externo que poderá contribuir ou prejudicar o empreendimento concebido no modelo de negócio. Com essas informações se poderá realizar devidas correções para que o empreendimento possa dar seu início de forma melhor possível.

Toda empresa possui aspectos positivos e negativos que envolve o ambiente interno e externo. As questões internas poderão ser revertidas, uma vez que estão nas mãos do empreendedor a capacidade de corrigir. Entretanto, as questões externas, o empreendedor precisa de sua competência  para visualizar alternativas com objetivo de minimizar os pontos negativos e saber otimizar os pontos positivos, uma vez que não possui o controle.

Inserindo a figura acima no formulário do modelo de negócio, se poderá realizar uma reflexão mais efetiva do modelo de negócio.

Refletindo com cada item do modelo de negócio, você poderá identificar as fraquezas e as forças, além das ameaças e oportunidades. As forças e as oportunidades serão bastante úteis para lidar com as fraquezas e ameaças.

A seguir segue alguns pontos de reflexão para dar o início a análise do modelo de negócio, Segundo a matriz de SWOT.

Ambiente interno: analise das forças e fraquezas

Proposta de valor:

  • Alinhamento com as necessidades dos clientes
  • Sinergia entre os produtos e serviços
  • Grau de satisfação dos clientes

Custos/Receitas

  • Possibilidade de realizar uma projeção mais realista
  • Fontes de Receitas diversas e sustentáveis
  • Margem de ganhos viáveis
  • Capacidade de pagamento dos clientes
  • Operações que poderão ou não otimizar os custos
  • Estrutura de custo adequada

Infraestrutura

  • Possibilidade de ser replicada
  • Disponibilidade de recursos logisticamente
  • Possibilidade das atividades-chaves serem copiadas
  • Oportunidade e equilibrio quanto a utilização de recursos próprios e terceirizados
  • Ambiente que promove bom relacionamento com os parceiros princiapais do empreendimento.

Interface com clientes

  • Segmentação de clientes
  • Facilidade ou não de perder e conquistar clientes
  • Canais de acesso a empresa que promova conveniencia ao perfil dos clientes a serem trabalhados
  • Poder da marca para conquistar cliente
  • Possibilidade de promover forte relacionamento com o cliente

Ambiente externo: analise das ameaças

Proposta de valor

  • Existencia de produtos e serviços similares no mercado
  • Abordagem estratégica da concorrência

Custo/Receita

  • Possibilidade de mudança dos custos com o avanço tecnológico
  • Variação das margens de ganhos por conta da concorrência
  • Variáveis que poderão influenciar na mudança brusca dos custos e na precificação dos produtos e serviços

Infraestrutura

  • Risco de perder parcerias
  • Possibilidade de interrupção de fornecimento de alguns recursos importantes para empresa
  • Potenciais parceiros não agirem eticamente e prejudicando a empresa

Interface com os clientes

  • Saturação de mercado
  • Equívocos e reação de mercado que venha dificultar os canais de acesso propostos para se relacionar com os clientes
  • Possibilidade de não conseguir manter o relacionamento com os clientes

Ambiente externo: analise das oportunidades

Proposta de Valor

  • Possibilidade de implementar inovações
  • Capacidade de atender necessidades adcionais dos clientes
  • Oportunidades de melhoria continua na construção do relacionamento com o cliente

Custo/Receita

  • Flexibilidade em mudança de preço
  • Alternativas para redução de custos
  • Até quanto os clientes estão dipostos a pagar

Infraestrutura

  • Possibilidade de ganho de eficiencia com a terceirizacao de recursos principais
  • Capacidade de padronização das rotinas e procedimentos
  • Utilização de tecnologia para ganhos de escala e conveniencia para os clientes

Interface com clientes

  • Aprimorar os canais de acesso dos clientes
  • Capacidade de melhor monitoramento e suporte aos clientes
  • Ampliar para atender novos segmentos de clientes
  • Possibilidade de redirecionar o foco para segmento de clientes mais lucrativos
  • Aprimorar o processo de atendimento aos clientes

Todos os pontos apresentados poderão ser bem mais explorado de acordo com a especificidade do seu modelo negócio! Não deixe de fazer essa análise.

Fonte: Osterwalder & Pigneur (2010)

Gestão empresarial, Inovação, Modelo de negócio, Planejamento, Plano de negócio

Modelo de negócio – análise do ambiente de negócio


Continuando nossa reflexão, conforme o artigo anterior  sobre avaliar uma oportunidade de negócio e especificamente, avaliar estrategicamente um modelo de negócio.

Pode-se fazer uso de quatro áreas estratégicas. A primeira, será explorada neste artigo: Ambiente de Negócio.

O ambiente de negócio poderá ser analisado através de 04 perspectivas: tendências principais, força do mercado, força da indústria e força macroeconômicas.

Conforme a figura a seguir, cada perspectiva influenciará os itens do modelo de negócio.

A seguir será detalhado da perspectiva:

A força do mercado norteará a validação do seu conhecimento do segmento de cliente que você pretende atuar, além de possibilitar de elaborar estratégias mais consistente para atender os principais clientes da potencial empresa.

A análise do ambiente a partir da força do mercado é através de 05 pontos: fatores de mercado, custo de mudança, atratividade de receita, necessidade de demandas e segmentos de mercado.

A partir desses pontos se faz as seguintes reflexões:

Fatores de mercado:

  • O que afeta esse mercado?
  • Qual a tendência desse mercado?
  • Qual o time de mudança desse mercado?

Segmentos de Mercado:

  • Quais os segmentos que estão em crescimento e declinando?
  • Qual o principal segmento?
  • Qual o segmento que está sendo mau atendido?

Necessidades e demandas:

  • Qual a real necessidade os clientes?
  • Onde se encontra as maiores insatisfações?
  • Qual a real demanda do mercado que se pretende atuar?
  • Onde está saturado e onde está em crescimento?

Custo de Mudança:

  • Existe custo para os clientes deixarem de consumir na concorrência e se tornar seus clientes?
  • Existem muitas ofertas similares?
  • Qual o peso da marca na escolha do cliente?

Atratividade de receita:

  • Quanto os clientes estão dispostos a pagar?
  • Existe a possibilidade dos clientes comprarem mais barato do que sua oferta?
  • No mix de produto e serviço, quais itens possuem maior e menor margem de ganho financeiro?

A perspectiva de análise da força da indústria será avaliado a capacidade competitiva da empresa. Os pontos para essa avaliação estão fundamentados nas cinco forças de Potter, como é popularmente conhecido. As reflexões deverão ser feitas a partir dos seguintes pontos: público de interesse, fornecedores, produtos substitutos, concorrentes, fornecedores e novos entrantes.

Concorrentes:

  • Quem são?
  • Quais as vantagens e desvantagens?
  • Como exercem influência junto aos clientes?
  • Qual sua estrutura operacional, financeira e receita?
  • Qual a margem de lucro trabalhada?

Novos entrantes:

  • Quais as facilidades e dificuldades se surgir um empreendimento similar?
  • Quais as possibilidades de abordagem de atuar no mercado?
  • Quais os nichos de mercado que poderão potencialmente ser trabalhado?

Produtos substitutos:

  • Qual a facilidade dos clientes mudarem para o produto substituto?
  • Qual o modelo de negócio convencional que o produto substituto originou?
  • Qual a diferença de preço entre um produto substituto e o que você trabalha?

Fornecedores:

  • Quais os principais fornecedores?
  • Qual o peso de influência dos forncedores sobre a cadeia de valores desse modelo de negócio que se está avaliando?
  • Qual o peso financeiro e sua lucratividade?

Público de interesse:

  • Qual a capacidade de influência e poder de barganha dos principais atores desse modelo de negócio? Tais como: governo, sócios, clientes, funcionários, lobistas, etc.

A perspectiva “Tendências principais” vem contribuir para análise e a possibilidade de se construir estratégias contemplando as tendências. Lembre-se que todas as empresas estão sempre em constante transformação. Os principais pontos para reflexão de tendências são: socioconômicas, tecnológicas, regulatórias, sociais e culturais, conforme a figura a seguir.

Tendências tecnológicas:

  • Quais as ameaças e oportunidades que poderão surgir?
  • O que se vem sendo desenvolvido fora do mercado que se vem atuar?
  • Quais as principais tendências que se estão surgindo?

Tendências regulatórias:

  • Quais os regulamentos e impostos que tendem influenciar no consumo?
  • Quais as legislações e ou regulamentações que poderão ter impacto no seu modelo de negócio?
  • Quais os aspectos restritivos ou de abertura de mercado que poderão quanto as mudanças da legislação virgente?

Tendências culturais e sociais:

  • Quais as mudanças culturais e valores sociais que estão em processo de mudança que terá impacto no modelo de negócio?
  • Qual o comportamento das novas gerações de consumidores?
  • O que poderá afetar o comportamento de consumidor?

Socioeconômicas:

  • Qual a distribuição demográfica da populacão?
  • Qual a tendência da mobilidade das classes sociais e do seu potencial de compra?
  • Qual a estrutura e a distribuição do orçamento familiar dos potenciais clientes?
  • Qual a qualidade de vida e as necessidades emergentes da sociedade?

A perspectiva Força Macro-econômicas vem apresentar o retrato da dinâmica econômica e pública que você não possui controle, mas precisará conhecer, acompanhar e tomar constantes medidas para minimizar seu impacto no seu negócio. Na fase de avaliação estratégica de análise do modelo de negócio, os pontos a seguir irão contribuir para viabilidade do contexto local e a influência global.

A seguir será detalhado algumas reflexões dos seguintes pontos: Situação do mercado global, mercado de capitais, commodities e infraestrutura econômica.

Situação do mercado global:

  • Qual a previsão do PIB – produto interno bruto?
  • O cenário econômico local e global: está em franco crescimento ou em recessão?
  • Como o cenário global poderá afetar no seu modelo de negócio?

Mercado de capitais:

  • Qual a facilidade ou não de se captar recurso financeiro?
  • Existem políticas de insentivo e capital de risco para seu modelo de negócio?
  • Qual o custo de utilizar os recursos de terceiros para o processo de implantação do seu modelo de negócio?

Commodities:

  • Seu modelo de negócio vai atuar em um produto que se caracteriza como uma commodities?
  • Quais as commodities que terão influência no seu custo operacional e ou no seu preço final?

Infraestrutura econômica:

  • No ambiente que se pretende implantar o negócio, como se encontra a infra-estrutura: educação, saúde, transporte, comércio, fornecedores, etc?
  • Qual a infraestrutura pública que possui grande influência para viabilizar seu negócio?

Toda essa trilha traçada contribui para avaliar estrategicamente o ambiente de negócio que  se encontra. Para cada  modelo de negócio deverá ser  observado as questões atuais e a possível periodicidade de mudança, uma vez que vivemos em um ambiente em constante transformação. E dependendo do modelo de negócio a dinâmica de transformação é bastante intensa.

Fonte: Osterwalder(2010)

Mercado, Modelo de negócio, Oportunidade de negócio, Planejamento

Modelo de negócio: estruture sua oportunidade de negócio


Só para lembrar onde tudo começa, é na estruturação do modelo de negócio. Se você tem já uma oportunidade de negócio definida, comece a esboçar sua idéia. Para isso, utilize as informações deste quadro:

  1. Perfil de clientes: quem será seu cliente? Qual a capacidade de pagamento? O que eles mais gostam? O que eles mais reclamam?
  2. Valor agregado: qual o diferencial que será proporcionado, para que os clientes escolham sua empresa? Exemplo: design, processo de atendimento, novas tecnologias, novas abordagens de atendimento etc.
  3. Relacionamento: Qual abordagem de relacionamento com os clientes que serão desenvolvidas? Isso é fundamental para que os clientes possam ter uma primeira experiência com a empresa, de forma inusitada e que perdure essa relação.
  4. Canais de comercialização: os acessos que os clientes terão para concretizar a comercialização. Terá ponto de venda? Televendas? Comércio eletrônico? Entrega em domicílio?
  5. Principais parceiros: identificar as principais empresas que poderão contribuir para sua empresa funcionar.
  6. Principais atividades: quais as atividades que irão proporcionar a motivação, com a finalidade de criar laços de relacionamento com os clientes.
  7. Principais recursos: qual a infraestrutura necessária para a empresa funcionar? Custo operacional: qual o custo mínimo que a empresa necessita para funcionar? Aluguel? Telefone? Internet? Material de expediente? Serviços contábeis? Outros.
  8. Fluxo de receita: Qual a projeção de venda? Ocorrerá venda a vista ou a prazo? Quais os prazos estabelecidos? Quais os meios de pagamento a prazo?

A partir do modelo de negócio construído, você irá realizar algumas analises estratégicas, conforme a indicação do artigo anterior e uma das primeiras análises você conhecerá nos próximos artigos.

Fonte: Osterwalder(2010)

Comportamento do consumidor, comportamento empreendedor, Mercado, Modelo de negócio

Por que é importante conhecer os potenciais clientes que se pretende trabalhar?


Para cada grupo de perfil de cliente poderá representar uma abordagem diferente na comercialização, tendo em vista que:

• As suas necessidades exigem e justificam uma oferta distinta de apresentar e comercializar os produtos e serviços.

• Eles são alcançados através de diferentes canais de distribuição, desde da venda direto da indústria ao marketing direto. É claro que existe situações que se pode escolher o canal de distribuição por uma questão estratégica.

• Eles exigem tipos de relacionamentos diferentes, a abordagem de comercialização e de construção de relacionamento precisa corresponder com as necessidades e expectativas de cada grupo de clientes.

• Eles têm rentabilidades substancialmente diferente, de acordo com o perfil e abordagem de comercialização poderá diferencia os ganhos financeiros ou simplesmente, se ter mais trabalho operacional com os mesmos ganhos, entretanto, reduzindo riscos financeiros.

• Eles estão dispostos a pagar por aspectos diferentes da oferta. Existe clientes que deseja comprar mais do que o produto em si, mas os serviços que estão agregados. Dessa forma, precisa-se entender o que é mais importante para o cliente: o serviço ou o produto, pois dessa forma se poderá definer melhor o preço que se irá apresentar para os clientes.

Essas questões são importantes ser compreendidas pois tendo essa definição se poderá definer todo o modelo de negócio que se pretender empreender.

 

Fonte: Osterwalder(2010)

Diferencial estratégico, Mercado, Modelo de negócio, Oportunidade de negócio, Planejamento, Plano de negócio

Você quer empreender no setor 2,5?


Se você pensa em empreender no setor 2,5 é interessante você observer algumas premissas: desejo, praticidade e viabiliade.

Segundo o Human-Centered Design (Design Centrado no Ser Humano), orienta que o ponto de partida é estudar o desejo das pessoas que se pretende influenciar e transformar suas vidas.

Identificar seus desejos e comportamento de como elas lidam com as coisas almejadas. Precisa-se realizar pesquisas de campo, mesmo que você tenha toda uma experiência ou estudado bastante a respeito.

O resultado da pesquisa contribuirá para validar a idéia, além de surgir informações que se possa desenvolver uma abordagem que venha ter maior aderência para o público pesquisado. Ao definir as idéias de negócios e sua abordagem, evolua para a segunda etapa da validação dessa oportunidade de negócio:

  • proposta operacional da abordagem e
  • análise da viabilidade econômica e financeira.

Relembrando, a abordagem do setor 2,5, o empreendimento precisa gerar impacto na base da pirâmide, viável operacionalmente e financeiramente.

Mais detalhes desse processo você poderá ler no manual da HCD.

Oportunidade de negócio, Planejamento, Plano de negócio

Saiba estruturar uma oportunidade de negócio


Muitas vezes temos uma idéia para abrir um negócio e não sabemos por onde começar. Pensando nessa situação, comece a estrutrar sua idéia a partir das dicas deste artigo http://blogs.diariodepernambuco.com.br/empreendedor/?p=250

Empreendedor, Modelo de negócio, Plano de negócio, Statups

Modelo de negócio ou plano de negócio, o que vem primeiro?


Muitos empreendedores não sabem como começar a sua empresa. Para quem dúvidas leia o artigo “modelo de negócio ou plano de negócio: o que vem primeiro?”

Empreendedor, Modelo de negócio, Plano de negócio, Statups

O início de uma empresa…



Geralmente, as empresas que estão iniciando a sua atuação faltam definir seu foco de mercado. Com isso, surge uma ação emergencial de descobrir o mercado que estão localizados seus potenciais clientes.

Esse processo parte da busca de construir o modelo de negócio da empresa, isto é, definir o perfil e comportamento de sua clientela, quais os canais de comercialização mais eficaz, quais os produtos e serviços que precisam estar contemplados.

O perfil e comportamento de seus clientes precisam ser estudados, compreender os problemas que eles vivenciam no processo de consumo, gerando alternativas e validando essas informações.

Os canais de comercialização são inúmeros, o detalhe é: qual o mais eficaz para atingir os clientes. Sempre pensando na realidade atual e futura. Quanto à mudança de comportamento de consumo, como as possibilidades de ganho de escala de vendas ou um modelo que possa ser replicado.

O mix de produto e serviço que melhor atrairá mais clientes e que se sintam contemplados no processo de compra. Cuidado para não perder o foco na construção do mix de produtos. Para isso, sempre valide com o perfil dos clientes pré-definidos.

Ao se ter a clareza dessas informações, pode-se desenhar o processo operacional da empresa que se chegará ao modelo de negócio da sua empresa.

E todas as decisões empresariais partirão desse modelo, inclusive a análise da viabilidade econômico-financeira.

Os canais de comercialização são inúmeros, o detalhe é: qual o mais eficaz para atingir os clientes. Sempre pensando na realidade atual e futura. Quanto a mudança de comportamento de consumo, como as possibilidade de ganho de escala de vendas ou um modelo que possa ser replicado.

O mix de produto e serviço que melhor atrairá mais clientes e que se sintam contemplados no processo de compra. Cuidado para não perder o foco na construção do mix de produto, para isso, sempre valide com o perfil dos clientes pré-definidos.

Ao se ter essa clareza dessas informações, poderá desenhar o processo operacional da empresa que se chegará ao modelo de negócio da sua empresa.

E todas as decisões empresariais partirão desse modelo, inclusive a análise da viabilidade econômico-financeira.